Honram-me lendo meus escritos...

quinta-feira, 14 de março de 2013




A minha poesia
é magricela,
com pouca sutança,
anêmica
um retrocesso

Quem sabe um dia
eu ponha nela
Uma substância
polêmica
pra ter sucesso?

Oh, mente infame, deixe estar!
Oh,Pensamento inútil
que eu moo pelo avesso.

Poeta não é popstar.
Sucesso é troço fútil.
Palavra, não tem preço!


Cristiano Marcell

14 comentários:

  1. Limerique

    Porém, amigo, tua poesia não é oca
    Dessas só transmissíveis pela boca
    Ela tem consistência
    Desperta apetência
    Sabe ao estômago como coisa loca.

    ResponderExcluir
  2. e das suas poéticas conclusões, rega a palavra que nos sacia.

    abraço carinhoso Cristiano.;

    ResponderExcluir
  3. "Palavra, não tem preço"? Talvez para o poeta. Mas para o mundo mercadológico...

    Abraços, matemático poeta!

    ResponderExcluir
  4. Ando com fome de ideias... roubei a primeira estrofe... parabens! parabens!

    ResponderExcluir
  5. Palavra e poemas não tem preço mesmo, não há dinheiro que pague!
    Beijo!

    ResponderExcluir
  6. Tem uma galera aí que tá quase enfiando uma melancia no cu pra ser popstar.

    ResponderExcluir
  7. rss, não é magricela, tem sutança e não é anêmica!
    Eu adorei.
    Abraços!

    ResponderExcluir