Honram-me lendo meus escritos...

quarta-feira, 23 de maio de 2012

Coração

Oh, coração,
por favor, ouça!
Bata-me
com fulgor,
com todo amor
e a plena força.
E sem pestanejar
retire todo ar
de meu pulmão.

Venda-me,
com tudo
e por nada.
Minha’lma depravada
pra qualquer pessoa
de índole boa
numa feira de mangaio.
Outrossim,
se eu permanecer assim
eu caio,
eu pifo.
Devora-me,
coração,
pois senão
eu te decifro!

Cristiano Marcell

16 comentários:

  1. Mais um bom poema, Cristiano.
    Estou tentando adquirir construir minha poesia com essa "misteriosa leveza" que você já tem.

    O link pra acompanhar meu blog já está na página. Obrigado pela dica, pois não tinha percebido.

    Daqui a pouco levanto pra dar aula. Mas eu voltarei aqui com mais calma, quando tiver mais tempo.

    Um abraço.

    ResponderExcluir
  2. Coração humano
    Centro do mundo não és
    Ouça o Cristiano!

    ResponderExcluir
  3. decifrar corações é o sinónimo perfeito da utopia. e quem dela não tem boa dose? :)
    um abraço, marcell!

    ResponderExcluir
  4. O coração quase sempre acaba nos devorando antes que podemos decifrá-lo. E o próprio coração tem mais mistérios do que qualquer outro.

    Abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado pela gentileza de seu comentário, prezada Luciene!

      Muita paz!

      Excluir
  5. Um belo poema, te sigo aqui também caro amigo poeta.

    ResponderExcluir
  6. Não tinha vindo até aqui...lindo poema; ah...a paixão que nos faz ver as mais belas coisas e não importa se elas existam ou não.
    Gostei daqui!
    Abração amigo!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Seja sempre muito bem-vindo! Pode entrar! A casa é nossa!

      Excluir
  7. Cristiano belo poema intenso com uma instigação marcante que carrega o leitor.Já sou admiradora do teu acervo no haikai agora este teu espaço rico e original adiciono também em minha estrada poética.bjs de violetas

    ResponderExcluir
  8. Retiro o que eu disse acima sobre a perfeição.

    ResponderExcluir
  9. Bondade sua novamente, prezada colega!

    ResponderExcluir