Honram-me lendo meus escritos...

segunda-feira, 2 de julho de 2012

Carlos Drummond de Andrade

Satânico é meu pensamento a teu respeito, e ardente é o meu desejo de
apertar-te em minha mão, numa sede de
vingança incontestável pelo que me fizeste ontem.A noi
te era quente e calma, e eu estava em minha cama, quando,
sorrateiramente, te aproximaste.
Encostaste o teu corpo sem roupa no meu corpo nu, sem o mínimo pudor!
Percebendo minha aparente indiferença,
aconchegaste-te a mim e mordeste-me sem escrúpulos Até nos mais
íntimos lugares. Eu adormeci.
Hoje quando acordei, procurei-te numa ânsia ardente, mas em vão.
Deixaste em meu corpo e no lençol provas irrefutáveis
do que entre nós ocorreu durante a noite.
Esta noite recolho-me mais cedo, para na mesma cama, te esperar.
Quando chegares, quero te agarrar com avidez e força. Quero te apertar
com todas as forças de minhas mãos. Só
descansarei quando vir sair o sangue quente do seu corpo.
Só assim, livrar-me-ei de ti,  

Pernilongo Filho da Puta!



10 comentários:

  1. Hahahahaha! Excelente! Travamos esta batalha aqui em casa quase toda noite no verão!

    ResponderExcluir
  2. Limerique

    Dormindo com o pernilongo
    Poeta compôs poema longo
    Ao invés de matar
    Resolveu trovar
    Para mim é um mocorongo.

    ResponderExcluir
  3. Limerique

    Ele explicava com desenvoltura
    Sua triste sina naquela altura
    Sua raiva aflorava
    Quando se deitava
    Pois ia levar uma picadura.

    ResponderExcluir
  4. Uma maravilha! kkk
    Um grande bj

    ResponderExcluir
  5. além de picadura, o serviço se completa com uma chupada...kkkkkkkkkkkkkkk

    ResponderExcluir